Pastoral Missionária

A Igreja “por sua natureza é missionária, visto que, segundo o desígnio de Deus Pai, tem a sua origem na missão do Filho e na missão do Espírito Santo” (Conc. Ecum. Vat. II, Decr. Ad gentes, 2). Esta é “a graça e a vocação própria da Igreja, a sua mais profunda identidade. Ela existe para evangelizar” (Paulo VI, Exort. ap. Evangelii nutiandi, 14). Consequentemente, nunca pode fechar-se em si mesma. Enraíza-se em determinados lugares para ir além. A sua ação, em adesão à palavra de Cristo e sob a influência da sua graça e caridade, faz-se plena e atualmente presente a todos os homens e a todos os povos para os conduzir rumo à fé em Cristo (cf. Ad gentes, 5).

Esta tarefa não perdeu a sua urgência. Aliás, “a missão de Cristo Redentor, confiada à Igreja, ainda está bem longe do seu pleno cumprimento… uma visão de conjunto da humanidade mostra que tal missão ainda está no começo e que devemos empenhar-nos com todas as forças no seu serviço” (João Paulo II, Enc. Redemptoris missio, 1). Não podemos permanecer tranquilos com o pensamento de que, depois de dois mil anos, ainda existam povos que não conhecem Cristo e ainda não ouviram a sua Mensagem de salvação.

A missão revela-se como o ponto onde converge todo o sentido de ser cristão e de ser da Igreja, toda sua essência e identidade (cf. AG 2).

A Pastoral Missionária convida a todos a participar dos momentos de união na oração nas Missas nos Setores, nas novenas de Natal, nas Missas Penitenciais e Via-Sacra no tempo Quaresmal, nos terços nas casas. São momentos de unidade da Igreja à levar a Boa-Nova a todos.

Coordenadores: Dalva Apda. Chiareti da Cruz (Dalvinha)