Pastoral Litúrgica

Segundo o Catecismo da Igreja Católica (CIC), em seu nº 1069, “a palavra liturgia significa ‘obra pública’, ‘serviço por parte dele em favor do povo’. Na tradição cristã, quer dizer que o povo de Deus toma parte na ‘obra de Deus’. Pela liturgia, Cristo, nosso Redentor e Sumo-Sacerdote, continua na sua Igreja, com ela e por ela, a obra da nossa redenção.”

O Catecismo ainda nos mostra que, na Bíblia, mais especificamente no Novo Testamento, a palavra Liturgia também é usada para designar o anúncio do Evangelho e a caridade em ato, tratando-se, assim, do serviço de Deus e dos homens. “Na celebração litúrgica, a Igreja é serva, à imagem do seu Senhor, o único ‘Liturgo’, participando no seu sacerdócio (culto) profético (anúncio) e real (serviço da caridade):

“Com razão se considera a liturgia como o exercício da função sacerdotal de Jesus Cristo. Nela, mediante sinais sensíveis e no modo próprio de cada qual, significa-se e realiza-se a santificação dos homens e é exercido o culto público integral pelo corpo Místico de Jesus Cristo, isto é, pela cabeça e pelos membros. Portanto, qualquer celebração litúrgica, enquanto obra de Cristo Sacerdote e do seu corpo que é a Igreja, é ação sagrada por excelência e nenhuma outra ação da Igreja a iguala em eficácia com o mesmo título e no mesmo grau”. (CIC 1070)

A Liturgia realiza e manifesta a Igreja como sinal visível da comunhão de Deus e dos homens por Cristo; empenha os fiéis na vida nova da comunidade, e implica uma participação consciente, ativa e frutuosa de todos.

Pastoral Litúrgica é “a ação organizada e corajosa da Igreja para levar o Povo de Deus à participação consciente, ativa e frutuosa na Liturgia” (CNBB, 1989, nº 185).

“Pastoral litúrgica é o serviço para animar a vida litúrgica, levando em conta o contexto social, histórico, cultural e eclesial das comunidades, tendo em vista a participação ativa, consciente e plena de todos na celebração, para dela colherem os frutos espirituais” (CNBB, s/d, p. 117)

As equipes de liturgia se reúnem todas as quintas-feiras para promover, organizar, dinamizar e programar as celebrações, sejam nos dias da semana e dos finais de semana. Exercem as funções de acolhida, organizadores (ofertório e coleta),  comentarista e leitores.

Coordenadores: Teresinha Boldrin G. Palareto; Regina Helena C. O. Estrela  e Cleide Aparecida Fratassi